PROMOÇÃO REDE SKY

PROMOÇÃO REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

TEMPO EM JATAÚBA - PE

segunda-feira, 31 de maio de 2021

Morre jornalista lulista que “torceu” para coronavírus matar Bolsonaro, Fábio Campana faleceu aos 74 anos, vítima da Covid-19 e estava vacinado com Coronavac

 

O jornalista Luiz Fábio Campana morreu na noite deste sábado (29), aos 74 anos, em decorrência de complicações da Covid-19. Campana estava internado em um hospital de Curitiba, no Paraná, desde a quarta-feira (26).

Apesar da longa carreira jornalística, Campana chamou a atenção em junho de 2020, quando publicou um artigo intitulado ‘Por que torço para que Bolsonaro morra’ em seu blog. Na ocasião, Bolsonaro havia sido diagnosticado com Covid-19.

No texto, Campana afirma que “a ausência de Bolsonaro significaria que já não teríamos um governante minimizando a epidemia nem sabotando medidas para mitigá-la”.

Ainda de acordo com o escritor, a morte do presidente traria mais tranquilidade entre as instituições do país.

– Bônus políticos não contabilizáveis em cadáveres incluem o fim (ou ao menos a redução) das tensões institucionais e de tentativas de esvaziamento de políticas ambientais, culturais, científicas, etc. – defendeu.

Campana havia sido vacinado com a primeira dose de CoronaVac em 25 de março, tendo tomado a segunda dose cerca de 3 semanas depois. Apesar de estar com o ciclo de imunização completo, o jornalista não resistiu às complicações da doença.

ALIADOS DE BOLSONARO IRONIZAM

Nas redes sociais, aliados de Jair Bolsonaro ironizaram o falecimento do jornalista que “desejou” a morte do presidente. O assessor especial Tercio Arnaud publicou a notícia sobre Campana com emojis chorando. O tuíte de Tercio foi republicado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente.





Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário