1° LUGAR REFERÊNCIA EM PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA - CARIRI EM AÇÃO

1° LUGAR REFERÊNCIA EM PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA - CARIRI EM AÇÃO
OBRIGADO JATAÚBA!

CAMPEONATO JATAUBENSE DE FUTEBOL DE CAMPO

CAMPEONATO JATAUBENSE DE FUTEBOL DE CAMPO
Click na imagem e acompanhe todos os resultados

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

REDE SKY

REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

TEMPO EM JATAÚBA - PE

sábado, 1 de junho de 2019

Bruno Araújo é eleito presidente do PSDB em convenção nacional

Ex-deputado de 47 anos foi indicado pelo governador de SP, João Doria, nome mais forte do partido atualmente. Domingos Sávio é o vice-presidente




A convenção nacional do PSDB confirmou nesta sexta-feira, 31, o ex-deputado federal e ex-ministro Bruno Araújo (PE) como presidente nacional do partido e o deputado federal Domingos Sávio (MG) como vice-presidente da sigla. A chapa do novo comando tucano pelos próximos dois anos, que não teve concorrentes na convenção, foi definida somente na noite desta quinta-feira, 30.

Araújo foi o escolhido pelo governador de São Paulo, João Doria, hoje nome mais forte da sigla, para presidir o PSDB. Havia a expectativa de que a senadora Mara Gabrilli (SP), também aliada de Doria, fosse a vice, mas ela abriu mão do posto. Segundo sua assessoria, Mara decidiu não integrar a chapa porque sua participação na Executiva do partido poderia representar um impedimento à sua vaga como representante do Brasil no Comitê da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Já Sávio, que presidiu o partido em Minas Gerais, é próximo ao deputado federal Aécio Neves (MG), ex-presidente nacional da sigla e réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e obstrução à Justiça.

Reportagem de VEJA desta semana mostra que o PSDB elegeu uma nova cúpula com a missão de mudar a cara do partido. A sigla sofreu sua pior derrota nas eleições de 2018. Geraldo Alckmin saiu da disputa presidencial no primeiro turno, com apenas 4,7% dos votos. No Congresso, a bancada tucana na Câmara encolheu para 29 deputados federais, 25 a menos do que tinha em 2014 e setenta a menos que em 1998.

Ao chegar à convenção, Doria foi recebido por militantes sob gritos de “presidente”, em referência à possibilidade de o tucano ser candidato ao Palácio do Planalto em 2022. Com o governador paulista como figura central, o evento não teve as presenças de alguns caciques do partido, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e Aécio. “Ele tem 88 anos, não precisa justificar a presença”, comentou o senador Tasso Jereissati (CE) sobre FHC.

Ao discursar na convenção, João Doria buscou nacionalizar seu discurso. “Eu sou brasileiro e amo a minha pátria. Amo São Paulo, mas antes de amar São Paulo, amo meu país”, disse o governador, em uma fala repleta de acenos e elogios a Alckmin, de quem se tornou desafeto. A jornalistas, Doria classificou Araújo como “um integrador, não um divisionista” e defendeu que o PSDB feche questão pela aprovação da reforma da Previdência.

Ele ponderou, contudo, que não quer um alinhamento do partido ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Nunca defendi alinhamento com o governo Bolsonaro e continuo entendendo que o PSDB não deve fazer esse alinhamento, mas está, sim, apoiando todas as boas iniciativas para o Brasil. A reforma da Previdência é um bom exemplo disso, a reforma tributária, na sequência, é outro bom exemplo”, declarou.


Ao assumir a Presidência Nacional do PSDB nesta sexta-feira (31), Bruno Araújo (PE) destacou que o partido definirá posições, sem hesitações e com unidade interna, assegurando a participação de todos os segmentos.
Aplaudido durante a XV Convenção Nacional da legenda, em Brasília, que reuniu filiados de todo país, Araújo destacou que o futuro depende das parcerias entre todos os segmentos do PSDB – mulheres, diversidade, juventude e negros.
Segundo Bruno Araújo, o primeiro grande desafio do PSDB será enfrentado nas próximas semanas, quando o partido definirá, por meio de discussão interna democrática, as questões relativas à Reforma da Previdência.
Nós vamos nos afastar das hesitações. Vamos nos transformar em um partido de decisões. Vamos derrubar o muro. Vamos errar? Vamos errar de um jeito novo. Não há chance de acertar sem coragem. O PSDB tem coragem. Não vamos fazer só.
A seguir, os principais trechos do discurso.


VEJA.COM
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário