Promoção Magazine Luiza e Você

VESTIBULAR - INSCRIÇÕES ABERTAS

VESTIBULAR  - INSCRIÇÕES ABERTAS
FACULDADE DO CARIRI

PREVINA-SE!

PREVINA-SE!
NOSSO BLOG APOIA ESSA CAUSA

GRANDE FEIRÃO REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

GRANDE FEIRÃO REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA
PROMOÇÃO FEIRÃO

REDE SKY

REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

TEMPO EM JATAÚBA - PE

sábado, 24 de novembro de 2018

Professor é preso com 48 mil downloads de pornografia infantil

O professor de inglês Rafael Ornellas Barbosa, morador de Icaraí, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, foi preso nesta quinta-feira por realizar 48 mil downloads de pornografia infantil. Além dele, policiais da Delegacia de Proteção a Crianças e Adolescentes (DPCA) da cidade prenderam outras duas pessoas envolvidas em crimes de pedofilia.
Uma jovem que já trabalhou com Rafael e preferiu não se identificar contou ter ficado muito surpresa ao saber da prisão do seu antigo coordenador em um curso de idiomas localizado também em Icaraí. Segundo a professora, a personalidade dele não dava qualquer indício de que pudesse ser um suspeito de manter conteúdo de pornografia infantil para uso pessoal.
— Ele era super tranquilo, uma pessoa muito sociável, comunicativa. Todo mundo que conheço que também o conhece gostava bastante dele. Era visto como gente boa, tinha jeito para conversar com as pessoas. Fiquei assustada e muito surpresa com o que aconteceu. Não podia jamais esperar isso dele. Nunca passou pela minha cabeça — afirmou.
A operação batizada como Revelação contou com o apoio de outras delegacias especializadas e ocorreu em paralelo à operação Luz na Infância, realizada no mesmo dia em 18 estados, no Distrito Federal, e ainda em algumas localidades da Argentina.
A ação da Polícia Civil em Niterói cumpriu nove mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça. Os agentes atuaram nos bairros de Barreto, Icaraí, Sapê e Cubango.
Após dois meses e meio de investigações, que contou com o uso de um programa para identificação de IPs de quem realiza downloads de pornografia, a autoridade policial representou junto à Justiça pela apreensão dos equipamentos para investigar.

G1
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio