Promoção Magazine Luiza e Você

PREVINA-SE!

PREVINA-SE!
NOSSO BLOG APOIA ESSA CAUSA

ELEIÇÕES 2018 AO VIVO

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA
1° FEIRÃO DO ANO

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

APOIO: REDE SKY

APOIO: REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

TEMPO EM JATAÚBA - PE

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

OS INTELIGENTES DA POLÍTICA JÁ SABIAM: Marília Arraes está fora da disputa pelo Governo do Estado. Veja Resolução

Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco/arquivo

A vereadora recifense Marília Arraes (PT) foi informada por telefone pela presidente nacional do PTGleisi Hoffmann, após reunião do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE), nesta terça-feira (31), em Brasília, de que não será mais candidata ao Governo de Pernambuco.

O PT decidiu aceitar a proposta de apoio do PSB em 11 estados. 

Nesta quarta-feira (1), haverá a reunião da Executiva Nacional petista para referendar o acordo no Estado. Na quinta-feira (2), será a vez da executiva estadual realizar sua reunião. Já o Diretório nacional do PT marcou seu encontro para sexta-feira. Finalmente, no próximo sábado (3), em São Paulo, o partido deverá lançar a candidatura do ex-presidente Lula – preso desde 7 de abril – durante a convenção

O senador Humberto Costa (PT) deve ocupar uma das vagas ao Senado na chapa que tenta reeleger o governador Paulo Câmara . A outra é do deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), crítico ferrenho do PT e do ex-presidente Lula. 

A neutralidade nacional do PSB possibilitaria arranjos locais em Pernambuco, e na desistência da candidatura de Márcio Lacerda (PSB) ao governo de Minas Gerais. A vereadora enfrentou resistência dentro do próprio partido desde o ano passado, quando evidenciou o desejo de ser a candidata ao governo. O grupo capitaneado pelo senador Humberto Costa (PT), argumentando a importância do PSB no contexto nacional diante da situação do ex-presidente Lula, preso em Curitiba, defendeu a aliança com Paulo Câmara. 

Em 2014, Paulo Câmara apoiou, no segundo turno, o senador Aécio Neves (PSDB) para a Presidência da República e também se posicionou de maneira favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Os aliados de Marília vão insistir para que o encontro estadual seja realizado nesta quinta. "Reitero a importância do respeito ao encontro como instância partidária", disse a deputada estadual Tereza Leitão (PT).

A decisão do PT já teria sido comunicada ao governador Paulo Câmara. Por meio da secretaria de imprensa, ele afirmou que não iria se pronunciar sobre o assunto.


Com informações de Marcelo Montanini e Folhapress

FOLHA DE PERNAMBUCO


Veja abaixo na íntegra a decisão do PT Nacional.



Resolução do PT sobre tática eleitoral



O Partido dos Trabalhadores, por meio de resolução do Diretório Nacional de dezembro de 2017, decidiu conferir prioridade absoluta à candidatura do companheiro Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.
A primazia do projeto nacional nas eleições de 2018 foi reiterada em sucessivas resoluções do Diretório Nacional e da Comissão Executiva Nacional, orientando e vinculando a este projeto as alianças nos estados.
Com o objetivo de fortalecer a unidade do campo popular em torno da candidatura Lula, e na perspectiva de construir as condições políticas para que uma aliança progressista  governe o país a partir de janeiro de 2019, a direção do PT desenvolveu intenso diálogo com outros partidos, prioritariamente PSB e PCdoB, com os quais temos vínculos históricos.
PSB e PCdoB estão entre os cinco partidos que assinaram conosco, por meio das fundações partidárias, o manifesto programático Unidade para Reconstruir o Brasil. Nestas eleições, já estamos juntos na Bahia, Acre, Ceará e Maranhão, e trabalhando para constituir alianças no maior número possível de estados.
O PT entende que a unidade do campo popular é necessária para superarmos a profunda crise do país, reverter a agenda do golpe e retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão, onde o povo e os trabalhadores voltem a ser o centro das ações de governo.
Nessa perspectiva, o PT decide incorporar-se às campanhas em que esses aliados históricos disputam governos estaduais, criando as condições para ampliar nacionalmente o apoio à candidatura Lula.
Diante disso, a Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores, com base no Artigo 159 do Estatuto do PT e cumprindo as resoluções do Diretório Nacional sobre a candidatura do companheiro Lula à Presidência da República, resolve, como diretriz estabelecida por esta instância:
  • Apoiar, nos estados do Amazonas, Amapá, Paraíba e Pernambuco, os candidatos a governador do PSB, assim como já apoiamos a candidatura do PCdoB no Maranhão;
  • Formalizar este apoio por meio da integração do PT às respectivas coligações majoritárias;
  • Formalizar o convite ao PROS para integrar a coligação nacional em torno da candidatura Lula.
Brasília, 1º. de agosto de 2018




Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio