Promoção Magazine Luiza e Você

VESTIBULAR - INSCRIÇÕES ABERTAS

VESTIBULAR  - INSCRIÇÕES ABERTAS
FACULDADE DO CARIRI

PREVINA-SE!

PREVINA-SE!
NOSSO BLOG APOIA ESSA CAUSA

GRANDE FEIRÃO REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

GRANDE FEIRÃO REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA
PROMOÇÃO FEIRÃO

REDE SKY

REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

TEMPO EM JATAÚBA - PE

sexta-feira, 23 de março de 2018

Gleisi já tinha avisado que o STF “não permitiria” a prisão de Lula. O plano para salvar o condenado era mais bem arquitetado do que imaginávamos

Brasília, Distrito Federal — As coisas estão mais claras agora. Nas últimas semanas só se falava sobre a pressão petista em cima de Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, para que ela pautasse a prisão após condenação em segunda instância e com isso – talvez – houvesse a chance de mudar o entendimento jurisprudencial da Corte – quer dizer, as decisões que repercutem para todos os outros tribunais do país e podem assim influenciar outras decisões, já que a jurisprudência do STF é tomada como referencial “mór” para as instâncias inferiores.
Pois bem. Cármen Lúcia fez a linha de “não cedo” às pressões. Segundo o noticiário dos dias que seguiam, estaria evitando reuniões com os colegas ministros. Estaria isolada. Agindo como uma dama de aço. Irredutível em seu entendimento. Deu entrevistas por aí dizendo isso: “não cedo”. Bem menos vai ministra, bem menos. Mas ela conseguiu angariar apoio. Até mesmo uma hashtag de “resista Cármen Lúcia” foi sucesso nas redes sociais durante dias. O povo achou que isso ajudaria ela a aguentar firme. Que nada.
Ainda havia a manobra do habeas corpus preventivo da defesa de Lula, encabeçada pelo primo da Carminha e ex-ministro do STF, Sepúlveda Pertence. Esse foi integrado ao time da defesa de Lula no último tempo, justamente para lidar com a Suprema Corte pelos bastidores, já que é – dizem por Brasília – super respeitado, influente, coisa e tal. E o noticiário continuou alvoroçado e cheio de especulações. Eu mesma fiz diversas especulações. Nenhum palpite chegou perto do que vimos hoje, nessa quinta, 22, dia do julgamento pela admissibilidade do HC preventivo.
Ministros combinando os votos
Que o lobby petista de certos ministros carimbados de vermelho existia e fortemente todos já sabiam. Os que menos disfarçam são Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, o último sequer poderia – por mérito próprio – ocupar o lugar que está. Segundo o jornalista Felipe Moura, do Pingos nos Is da Rádio Jovem Pan, quem capitaneou a Operação Salva Lula, no entanto, foi Celso de Mello. O Supremo é, infelizmente, uma corte feita a partir da politicagem. Sabia-se que alguns nomes pró-Lula rastejavam pelos bastidores pela articulação do salvo conduto pro ex-presidente Luiz Inácio.

Um dia antes do julgamento, especulou-se sobre Cármen Lúcia ter, no fim das contas, cedido à pressão. E questionou-se se ela não estava sendo esperta ao aceitar pautar o HC de Lula – decisão tomada UM DIA ANTES do julgamento. Ou seja, decidiu ontem e em seguida já foi julgado – nunca o STF foi tão ligeiro. Falou-se bastante também sobre o possível pedido de vistas – quando um ministro pede para rever o processo. E como isso, caso acontecesse, poderia desfazer o golpe que haviam armado, uma vez que o julgamento do HC ficaria debaixo da toga de algum ministro por tempo indeterminado. E dessa forma tudo seria adiado e Lula acabaria preso após o próximo dia 26, data em que o TRF-4 julgará seu último recurso, os embargos de declaração.

Pois bem. Não aconteceu. O que houve na quinta, 22, foi a decisão pela admissibilidade de se julgar o mérito do HC de Lula. Tudo bem ensaiado. Já começou tarde para não conseguirem acabar no mesmo dia. Gilmar deu uma atrasada. Dona Cármen resolveu pautar outro assunto antes. E começaram. Celso de Mello, Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio de Mello e Gilmar Mendes votaram pela admissibilidade. Edson Fachin, Roberto Barroso, Cármen Lúcia e Luiz Fux votaram contra. Marco Aurélio resolveu viajar – e impedir que continuassem com o mérito, e eis que a defesa do Lula dá sua cartada coringa, que pegou bastante gente desprevenida. Não se pode dizer o mesmo de alguns ministros.

Diante do encerramento da sessão, a defesa resolveu pedir uma liminar. José Roberto Batochio, defensor de Lula, fez discursos inflamados, com lágrimas de crocodilo, e com toda sua cara de pau argumentou como seria perigoso se não concedessem a liminar, já que o mérito do HC seria julgado só no dia 4, afinal de contas, Lula poderia ser preso antes — Ora! Que perigo! Onde já se viu? O maior ladrão dos cofres públicos do país sob ameaça de finalmente ser preso?! Não, o STF não poderia deixar isso acontecer — e não deixou. A maioria dos ministros entendeu pela concessão da liminar. Apenas Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luiz Fux e Cármen Lúcia foram contra.

50% do plano efetuado com sucesso
Lula já está a salvo de ser preso até o dia 4 de abril, por conta dessa liminar. Mas e depois? Bem, daí entram os pedidos de vistas. Qualquer ministro lacaio poderá simplesmente pedir vistas e voilá: ele estará livre, impedido de ser preso por força de liminar e o STF poderá procrastinar sobre decidir o habeas corpus, pois o pedido de vistas tende a não ter um prazo seguido – tem prazo determinado, mas falando claramente: ninguém segue.
O advogado Pierre Lourenço explicou à reportagem:
 “Vista” é quando algum ministro não tomou ainda uma decisão sobre o caso. Ele ainda está em dúvida em relação a questão de mérito a respeito do julgamento do recurso, no caso do habeas corpus. Então qualquer um que ainda não tenha finalizado seu entendimento e chegado a alguma conclusão a ação, pode pedir vistas para analisar o caso. Esse pedido de vistas é por prazo indeterminado. Mesmo que exista o prazo em uma resolução interna do Supremo, ele não é necessariamente cumprido. E caso não seja cumprido não tem nenhuma consequência. 
Entenderam? É sempre bom recordar o que a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse a pouquíssimo tempo. A senadora afirmou que o STF não deixaria que “uma violência dessas” – leia-se ir para a cadeia – acontecesse com Lula. Parece que ela sabia sobre o que falava.
O DIÁRIO NACIONAL

http://odiarionacional.org/2018/03/23/gleisi-ja-tinha-avisado-que-stf-nao-permitiria-a-prisao-de-lula/
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio