Promoção Magazine Luiza e Você

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA
1° FEIRÃO DO ANO

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

APOIO: REDE SKY

APOIO: REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

TEMPO EM JATAÚBA - PE

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

TRAGÉDIA: Globocop cai em praia do Recife, deixando dois mortos e um ferido; Veja imagens e vídeos

Imagem captada pelo Globocop antes da queda em Pernambuco na manhã desta terça-feira (23) (Foto: Reprodução/TV Globo

Equipe de Bombeiros, a procura de vítimas/helicóptero 
O Globocop, helicóptero que presta serviço à Globo em Pernambuco, caiu na manhã desta terça-feira (23), na Praia do Pina, na Zona Sul do Recife. O acidente ocorreu por volta das 6h15 (horário local). De acordo com informações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), três pessoas estavam na aeronave. Duas delas morreram e uma foi encaminhada para o Hospital da Restauração (HR), na área central capital.

Dois dos ocupantes eram funcionários da empresa Helisae, que presta serviços para a TV Globo há mais de 15 anos. O helicóptero era pilotado pelo comandante Daniel Galvão, que morreu no local. Também estavam a bordo a 1ª sargento da Aeronáutica Lia Maria Abreu de Souza, que chegou a ser socorrida, mas faleceu, e o operador de transmissão Miguel Brendo Pontes Simões, que se encontra em estado grave no HR.

Segundo o diretor geral do hospital, Miguel Arcanjo, Miguel Brendo chegou na unidade de saúde com uma condição muito grave, mas que a equipe médica conseguiu estancar a hemorragia. O operador apresenta politraumatismo com uma lesão grave na face. Nesse primeiro momento, os médicos tentam estabilizar o quadro de Brendo para depois fazer uma tomografia, ainda de acordo com o diretor geral.

O acidente aconteceu logo depois que o helicóptero fez as imagens da abertura do telejornal Bom Dia Pernambuco, nesta terça-feira. A aeronave foi revisada na semana passada e já tinha feito vários voos normais desde então.

A gente tem, em solo, resgatado pela Comunidade do Pina, três pessoas. Dois óbitos, sendo uma moça que obitou durante o procedimento de reanimação. Uma pessoa do sexo masculino foi removida para o Hospital da Restauração”, afirmou o técnico de enfermagem do Samu, Valdemir, em entrevista ao Bom Dia Pernambuco.

Chovia no Recife quando ocorreu o acidente. Bombeiros foram acionados para fazer o resgate e usam motos aquáticas para localizar o helicóptero. Segundo informações de testemunhas, haveria um quarto tripulante. A corporação tenta localizar a vítima.

De acordo com o capitão Romedrico Pereniz, do Corpo de Bombeiros, não há sinais de explosão da aeronave. "Não há indícios que tenha ocorrido uma explosão. Não há indícios de chama, de queimadura, nada disso. Apenas o politraumatismo. Foram as lesões que vieram a provocar esses óbitos. A mulher teve parada cardíaca, fizemos reanimação. Ela tinha muitas lesões, fraturas, cortes, hemorragias, mas nenhuma queimadura", apontou.

O Globocop era um helicóptero modelo Robinson R44/News copter, aeronave específica para filmagem aérea. De acordo com a Helisae, a aeronave passou na terça-feira (16), pela inspeção anual de manutenção. A empresa afirmou que o helicóptero era mantido pelos padrões técnicos exigidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e órgãos responsáveis, cumprindo um calendário rigoroso de manutenção.


VEJA PERFIL DAS VÍTIMAS DA QUEDA DA GLOBOCOP


Daniel Cavalcanti Figueira Galvão
Globocop era pilotado pelo comandante Daniel Galvão, que morreu no local (Foto: Arquivo pessoal)
Globocop era pilotado pelo comandante Daniel Galvão, que morreu no local (Foto: Arquivo pessoal)
O comandante era casado e não tinha filhos. Ele era funcionário da Helisae, empresa responsável pela aeronave, há seis anos. Daniel tirou a licença de voo comercial de helicóptero nos Estados Unidos. Ela foi validade no Brasil em 2011. O piloto tinha mais de 1.300 horas de voo.

Lia Maria Abreu de Souza
Lia Maria Abreu de Souza, 1ª sargento da Aeronáutica, estava no Globocop (Foto: Reprodução/Facebook)
Lia Maria Abreu de Souza, 1ª sargento da Aeronáutica, estava no Globocop (Foto: Reprodução/Facebook)

Era 1ª sargento da Aeronáutica e tinha 34 anos. Com 17 anos de atuação, ela já trabalhou em São Paulo e no Acre antes do Recife. Por ser controladora de voo, ela foi convidada pela Helisae para participar da transmissão na noite da segunda-feira (22). Ela deixa um filho de 2 anos. A sargento completaria 35 anos na quinta-feira (25).

Miguel Brendo Pontes Simões

Internado no HR, Miguel Brendo completou 21 anos no domingo (21). Operador de sistemas, ele era responsável pela captação, gravação e transmissão de imagens. Ele trabalha na Helisae há um ano e meio, empresa onde fez o curso de operador de sistemas.

Daniel era extremamente experiente, cidadão americano, tinha carteira americana e brasileira, instrutor de voou. Estava no helicóptero também o operador de sistemas Miguel Brendo, meu enteado, inclusive. Ele estava fazendo o controle das câmeras. Tinha também uma convidada, uma controladora de voo, para atender a televisão e a segurança área também”, apontou o comandante Wagner Monteiro, dono da empresa.








G1
Imagens: WhatsApp
Blog do Alberto Barbosa







Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio