Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO NOVEMBRO AZUL!

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018
APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018 EM FULL-HD

TEMPO EM JATAÚBA - PE

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Defensoria Pública pede abertura de 11 agências bancárias fechadas (Jataúba, Poção, Vertentes e outras oito) após assaltos/explosões


A Defensoria Pública do Estado do Pernambuco anunciou que vai entrar com ação civil pública para obrigar instituições bancárias reabrirem 11 agências, que foram fechadas após assaltos com uso de explosivo. A maioria das agências funciona no Sertão e Agreste do Estado, dentre elas Jataúba, Poção, Vertentes e outras, além de Inajá. Essa semana, a Defensoria Pública conseguiu uma decisão favorável ao município de Inajá, no Sertão. A ação, impetrada pelo defensor público José Antônio de Lima Torres contra o Banco do Brasil, instalado na cidade, que teve operações suspensas sob alegação de ataques criminosos. 

Por decisão da Juíza Tayná de Lima Prado Santana, foi determinado o retorno das atividades da agência, já que  a falta de atendimento aos clientes do Banco do Brasil, vem causando grande dano à sociedade daquela região. Com a decisão, a agência deverá retornar seu funcionamento normalmente. Caso descumpra a liminar, o banco pagará uma multa diária de R$ 50 mil.

A cidade de Inajá conta apenas com esta agência bancária para atender uma população de 22 mil habitantes. O Defensor Público José Antônio disse que sem a agência traria um grande prejuízo aos moradores do município e cidades circunvizinhas, principalmente aos idosos, pensionistas, comerciantes, e à grande quantidade correntistas.

Com as atividades suspensas, induz a existência de inúmeros transtornos à sociedade, que, para a realização das referidas transações precisa se deslocar para outras cidades vizinhas, o que demanda tempo e consideráveis gastos com transportes, onerando sobremaneira e em especial a população mais carente.”, destacou o Defensor Público.

José Antônio de Lima Torres observou, ainda, que a sociedade vem sofrendo o impacto da ausência efetiva da prestação do serviço bancário da cidade. “Assim, prolongar esta carência, seria dilatar, ainda mais, os prejuízos aos consumidores que já fazem o uso do serviço e àquele que dele venha necessitar”, enfatizou.


Diário de Pernambuco
Blog do Alberto Barbosa
Informações de Jataúba-PE




Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio