Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO NOVEMBRO AZUL!

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018
APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018 EM FULL-HD

TEMPO EM JATAÚBA - PE

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Passo a passo esquema de propinas Odebrecht-PT

Antônio Palocci, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, detalhou em depoimento ao juiz Sérgio Moro como a Odebrecht pagava propina ao Partido dos Trabalhadores (PT). Segundo ele, Lula fez um "pacto de sangue" com Emílio Odebrecht e acertou propina de R$ 300 milhões ao partido.
Veja abaixo os trechos do depoimento que mostram como funcionou o esquema, de acordo com Palocci:
1 - Palocci explica que ele é o italiano na planilha da Odebrecht
Moro: "O senhor é o italiano, como se refere o Marcelo Odebrecht?"
Palocci: "O Marcelo nunca me chamou de italiano, mas eu acho que essa planilha, quando ele coloca italiano, diz respeito diz respeito a mim sim. E ele nunca me chamou por esse nome, nem ele nem o doutor Emílio. Eu não sei porque ele escolheu essa alcunha. Mas tem vários e-mails em que ele fala de italiano e Itália que eu sei que não diz respeito a mim, pode dizer respeito a outras pessoas. Mas a planilha eu acredito que sim porque boa parte do que é tratado nessa planilha são assuntos que eu tratei com ele."
2 - Diz que relação entre Odebrecht e governo foi 'movida a vantagens dirigidas a empresas, propinas'
Palocci: "Eu diria apenas que os fatos narrados nessa denúncia dizem respeito a um capítulo num livro um pouco maior do relacionamento da empresa em questão, a Odebrecht, com o governo do ex-presidente Lula e da ex-presidente Dilma. Com uma relação bastante intensa, bastante movida a vantagens dirigidas a empresas, a propinas pegas pela Odebrecht para agentes públicos em forma de doação de campanha, em forma de benefícios pessoais, em forma de caixa 1, caixa 2".
3- Explica como funciona o esquema
Palocci: "É assim: a empresa trabalha com a Petrobras. A Petrobras dá vantagens para empresas. Com estas vantagens a empresa cria uma conta para destinar aos políticos que a apoiaram. O presidente mantém lá diretores que apoiam a empresa para dar a ela contratos. Esses contratos geram dinheiro, ela faz seus gastos, compra seus presentes, remunera seus diretores, paga seus funcionários e reservam dinheiro - algumas criam operações estruturadas. Outras criam caixa 2, outras criam doleiros e com esse dinheiro pagam propina aos políticos"

4 - Diz que Lula estava preocupado com desvios exagerados na Petrobras, mas redução de ilícitos ficou para 3º plano
Palocci: "Conversava com o presidente Lula sobre essas relações. Por exemplo, quando o presidente Lula foi reeleito em 2007, ele me chamou no palácio da Alvorada e me falou: soube que na área de serviços e de abastecimento, área internacional era menos nessa época. Era o Nestor Cerveró, era menos nessa época. Ele falou: Eu soube que na área de serviços e de abastecimento está havendo muita corrupção. Eu falei: É verdade. Está havendo sim. E ele falou: O que que é isso? É aquilo que foi destinado pra esses diretores. Operar para o PT num caso e para o PP no outro.
E ele falou: Você acha que isso está adequado? Falei que não. Acho que isso está muito exagerado, falei. Ele falou que tava pensando em tomar providências, não estava gostando que a coisa estava repercutindo de forma muito negativa. Mas logo após veio o pré-sal. E o pré-sal pôs o governo numa atitude muito frenética em relação a Petrobras, e aí esses assuntos, de ilícitos de diretores, ficaram para terceiro plano. E aí as coisas correram, continuaram correndo do jeito que era."
Continue lendo a reportagem clicando aí ao lado:  VÍDEO: Palocci descreve passo a passo esquema de propinas da ...

Magno Martins
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio