Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO NOVEMBRO AZUL!

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018
APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018 EM FULL-HD

Postagem em destaque

JOVEM FOI ASSASSINADO COM VÁRIOS TIROS, EM POÇÃO-PE

TEMPO EM JATAÚBA - PE

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Fim de Linha: confissão de Palocci é mortal para Lula


Em depoimento, Palocci entrega todos os esquemas de: "Como o condenado por roubar dinheiro público, Lula fazia comandava e demandava" a Organização Criminosa. O "Verdadeiro Chefe da Quadrilha de Bandidos" sugadores do dinheiro público.

Pelo que os advogados relataram, nessa quarta-feira (6) Antonio Palocci deu um tiro mortal em Lula em depoimento ao juiz Sérgio Moro.
Revelou que Lula e o PT fizeram um “pacto de sangue” com a Odebrecht para o recebimento de um pacote de propina no valor de R$ 300 milhões, a ser pago durante o primeiro governo Dilma.
Desse montante, R$ 4 milhões foram destinados pessoalmente a Lula.
Palocci confirmou a delação de Marcelo Odebrecht sobre o Instituto Lula e outras propinas que teriam sidos pagas ao PT e a Lula.
Disse que havia um grupo no PT para tratar disso, tendo se reunido inclusive na casa de Lula. Participaram dele, além de Lula e do próprio Palocci, Paulo Okamoto, Roberto Teixeira e José Carlos Bumlai.

Tem peso testemunho de Palocci contra Lula

O testemunho do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci Filho contra o ex-presidente Lula tem peso forte devido à proximidade política e pessoal entre os dois.
Palocci disse em depoimento hoje em Curitiba que Lula deu aval a um pacto com a Odebrecht para a empreiteira dar R$ 300 milhões ao PT.
Mesmo fora dos governos Lula e Dilma, Palocci atuou como arrecadador de finanças para a cúpula petista. É uma figura importante no partido.
Esse testemunho é sinal de que o ex-ministro deve mesmo fechar um acordo de delação premiada.
A admissão de Palocci de que houve um pacto com a Odebrecht tem potencial para criar mais dificuldades jurídicas e políticas a uma nova candidatura presidencial de Lula.
E acontece no momento em que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou uma denúncia ao Supremo acusando o ex-presidente de chefiar uma organização criminosa.

Magno Martins
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio