Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO NOVEMBRO AZUL!


Toda Loja em até *10x no Cartão Tel. (81) 3746-1412/98275-4999

Postagem em destaque

Petrobras reduz preços da gasolina e do diesel a partir desta sexta

TEMPO EM JATAÚBA - PE

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

CRIANÇA de 11 anos que era estrupada pelo padrasto, dá luz a bebê na Paraíba




Uma menina de 10 anos deu à luz um bebê, em João Pessoa. O parto, considerado de risco, foi realizado numa maternidade da Capital. O mais chocante do caso é que o pai do bebê seria o padrasto da menina. A delegada Joana Dark acompanha o caso e revelou que a criança havia relatado que os abusos aconteciam há bastante tempo e que a sua mãe não desconfiava de nada.

A gravidez da menina só foi descoberta aos cinco meses depois de alguns exames médicos. O acusado fugiu ao descobrir que a companheira e a criança, vítima do abuso, tinham ido prestar queixa na delegacia. O bebê nasceu com mais de três quilos de um parto cesárea. A jovem menina sofreu complicações apresentando, inclusive, convulsões e eclâmpsia. Ela foi transferida da UTI para a enfermaria.
Uma criança de 11 anos ficou grávida após ser violentada pelo padrasto e deu à luz um bebê no sábado (9) em uma maternidade de João Pessoa. A informação foi confirmada pelo juiz da Vara da Infância e Juventude da capital paraibana, Adhaílton Lacet Porto, em entrevista à CBN João Pessoa na manhã desta segunda-feira (11). Um processo contra o padrasto da menina de 11 anos segue em segredo de justiça e ele estava foragido até a manhã desta segunda.
De acordo com o magistrado Adhaílton Lacet Porto, tanto o bebê, quanto a criança passam bem e a mãe deve receber alta na terça-feira (12). “Após dar à luz, ela ficou na UTI algum tempo, mas o quadro dela teve uma melhora e foi informado [a ele] que vai receber alta”, comentou o juiz.
O processo foi iniciado a partir de uma denúncia feita no Conselho Tutelar da Região Sudeste de João Pessoa, no bairro do Geisel. A conselheira que registrou o caso, Isabela Santos, explicou que com o avanço das investigações, a criança foi encaminhada para uma casa de acolhimento em João Pessoa.
O juiz responsável pelo caso comentou que a mãe da criança e companheira do suspeito de estuprar e engravidar a menina está sendo ouvida por uma equipe multidisciplinar que investiga o caso. “Estamos apurando para saber até onde vai a responsabilidade de cada uma das pessoas envolvidas nesse caso”, completou o juiz Adhaílton Lacet Porto.
Ainda de acordo com o magistrado, a menina já estava com cinco meses de gravidez quando o caso veio ao conhecimento das autoridades, mas o abuso aconteceu quando ela tinha 10 anos. O caso é investigado também na delegacia de Infância e da Juventude de João Pessoa. O G1 tentou contato com a delegada Joana D’arc Sampaio, responsável pelo caso, mas as ligações não foram atendidas até as 12h desta segunda-feira.

G1 Paraíba




Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio