Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO DE OUTUBRO!


Toda Loja em até *10x no Cartão Tel. (81) 3746-1412/98275-4999

TEMPO EM JATAÚBA - PE

terça-feira, 19 de setembro de 2017

ARRASTÕES E ASSALTOS ASSUSTAM MORADORES DE POÇÃO, NO AGRESTE


Pernambuco – Durante este mês de setembro a nossa redação recebeu uma série de relatos de moradores do município de Poção, no Agreste, dando conta do atual cenário de insegurança que a cidade vive. Em um dos casos mais recentes, um arrastão foi registrado em plena luz do dia, deixando a população ainda mais preocupada. 
(Nesse mesmo dia os meliantes em fuga se depararam com a equipe do PSF VI, do Sítio Brejinho, município de Jataúba-PE, ao qual faz divisa coma cidade de Poção. Os meliantes, numa motocicleta de cor e placa não anotadas, abordaram a turma e anunciaram o assalto levando celulares e outros pertences da equipe médica). Relembre o caso aqui


Segundo informações coletadas pela nossa equipe de reportagem, o efetivo policial atuante no município é insuficiente e já não comporta mais as demandas dos moradores. Para alguns, a solução mais viável seria a ampliação do policiamento para o combate mais eficaz da criminalidade.
 "Poção não é mais a mesma. Antigamente o povo vinha morar aqui porque era uma cidade conhecida pelo seu clima agradável e pela tranquilidade, hoje resta apenas o clima agradável, porque a tranquilidade nós perdemos. Eu estou pensando em ir morar em um sitiozinho que tenho na Paraíba, pelo menos lá ainda existem algum sossego", desabafou um agricultor que não quis ser identificado. Há cerca de 15 dias o filho do mesmo teve um aparelho celular tomado por dois criminosos armados.
Outro morador que temendo por represálias também não quis ser identificado afirmou que no quesito policiamento a cidade padece e teme por novas investidas de criminosos que por diversas vezes já assaltaram a agência do Banco do Brasil local.
 "O negócio aqui é o seguinte, quem vive perto desse banco dorme com medo de virar refém nesses assaltos que ocorrem aqui. Sinceramente não se vê um policial na rua em alguns dias da semana, os criminosos fazem o que querem. Na verdade a gente vive na sombra de Pesqueira (cidade vizinha). Se vier policiais de lá, beleza, se não vier a gente fica sem", reclamou o servidor público.

Blog do Bruno Muniz
Blog do Alberto Barbosa




Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio