Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO NOVEMBRO AZUL!

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018
APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018 EM FULL-HD

TEMPO EM JATAÚBA - PE

quinta-feira, 1 de junho de 2017

'FOLHA' FAZ 'MEA CULPA' SOBRE ÁUDIO E ATRIBUI À PGR 'INTERPRETAÇÃO' PARA INCRIMINAR TEMER

O JORNAL AFIRMA QUE O SUPOSTO AVAL DE TEMER À COMPRA DE SILÊNCIO DE CUNHA FOI APENAS UMA "INTERPRETAÇÃO" DA PGR. (FOTO: JOSÉ CRUZ)

O Jornal Folha de S. Paulo publicou importante correção, na noite desta quarta-feira (31), admitindo que errou ao noticiar como fato apenas uma interpretação da Procuradoria Geral da República, segundo a qual o presidente Michel Temer fora gravado pelo empresário Joesley Batista dando aval à "compra do silêncio" do ex-deputado Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara.
"A tese de aval para a compra de silêncio é uma interpretação da Procuradoria Geral da República, usada para pedir a abertura de inquérito contra Temer", afirma a Folha, revelando, afinal, quem esteve por trás da informação que dava como certo o que o áudio não confirma, ou seja, o aval do presidente à "compra do silêncio" do ex-deputado. O jornal não aponta diretamente a PGR como fonte da informação primária, que tentou incriminar o presidente.
O jornal lembra que após o exame do áudio, divulgado no dia seguinte, 18 de maio, publicou matéria afirmando que o áudio era "inconclusivo".
A publicação da matéria "Folha errou em reportagem sobre áudio de Temer" é fato histórico, ainda que o jornal tenha por hábito publicar correções de seu conteúdo quando constata equívocos. Desta vez, revelou-se algo fundamental: a Folha informa que não teve acesso ao áudio antes da publicação da matéria, tanto o colunista Lauro Jardim, de O Globo, ainda que tenha informado na ocasião, na quarta-feira 17 de maio, que havia confirmado a informação.
Após a divulgação do áudio, a própria Folha contratou um perito para analisá-lo, e este identificou ao menos 50 edições.

Diário do Poder/Folha de São Paulo
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio