SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

REDE FÁCIL JATAÚBA

REDE FÁCIL JATAÚBA
Toda Loja em até 10x no Cartão Tel. (81) 3746-1412/98275-4999

Pe. REGINALDO MANZOTTI EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE

Pe. REGINALDO MANZOTTI EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE
EVANGELIZAR É PRECISO!

Postagem em destaque

1° TORNEIO DE VOLEI DE AREIA, EM JATAÚBA-PE

TEMPO EM JATAÚBA - PE

terça-feira, 23 de maio de 2017

Vazão da transposição diminui e Açude de Boqueirão passa a receber menos água


O presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), João Fernandes, confirmou que houve uma queda da vazão na chegada das águas da transposição em Monteiro, o que acarreta a diminuição da entrada de água no açude de Boqueirão.

Em entrevista nesta segunda-feira, 22, João afirmou que o problema já foi comunicado ao Ministério da Integração Nacional. Segundo ele, a vazão que estava em 7,8 mil litros por segundo caiu para 5,8 mil litros por segundo.

– Nós já comunicamos ao ministério de que na última sexta-feira a vazão caiu para 5,8 mil litros por segundo e isso diminui, de certo modo, a chegada das águas em Boqueirão. Espero que hoje a vazão já esteja restabelecida. Todos sabem que nós esperávamos a vazão de 9 metros cúbicos por segundo, mas nunca conseguimos isso. Claro que é uma obra grande, o governo está antecipando a entrega da obra e todos precisam ter consciência de que é uma obra difícil. Porém, precisamos de uma constância e um volume razoável de água para que possamos cumprir o calendário estabelecido em Campina Grande – pontuou.

João também afirmou que nesse domingo, 21, o volume de Boqueirão já passou de 20 milhões de metros cúbicos, o que corresponde a 4,8% da capacidade do manancial, aumentando em cerca de dois metros a lâmina de água do açude.

Em relação ao fim do racionamento em Campina Grande, João ponderou que o prazo de 60 a 90 dias está mantido.

– Nos foi prometido 9 metros e se está chegando 5,8 metros são quase três metros de diferença. Não é tarefa fácil por conta disso, mas estou convencido de que o governo está atento e trabalhando. Espero que, a depender da nossa intervenção e acompanhamento, ele (governo federal) tem que cumprir isso para que possamos libertar Campina Grande e região das restrições que estão sofrendo – frisou.

Ele reforçou, por fim, que a fiscalização da Aesa continua e que dois drones estão ajudando a monitorar as áreas da transposição e evitar o furto de água.


Paraíba Online
Foto reprodução


Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio