Promoção Magazine Luiza e Você

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

PROMOÇÃO NOVEMBRO AZUL!

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018

REDE SKY! APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018
APOIO NA TRANSMISSÃO FESTA DE SÃO SEBASTIÃO 2018 EM FULL-HD

Postagem em destaque

PREPARE-SE! GRANDE PROMOÇÃO DA REDE FÁCIL ALCÂNTARA JATAÚBA

TEMPO EM JATAÚBA - PE

sexta-feira, 19 de maio de 2017

ÁUDIO NÃO CONFIRMA 'AVAL' DE TEMER À COMPRA DO SILÊNCIO DE CUNHA


O áudio da conversa que o presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista, liberado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no começo da noite desta quinta-feira (18), não confirma, a rigor, a informação que atribuiu ao presidente da República o “aval” para a compra do silêncio de Eduardo Cunha. “A montanha pariu um rato”, repetiam os deputado no plenário da Câmara, esta noite, referindo-se à frustração da expectativa da notícia divulgada com estardalhaço na noite desta quarta-feira (18).
No ponto mais aguardado da gravação, Joesley reclama do seu relacionamento com o ex-deputado, atualmente preso em Curitiba, quando se ouve claramente o empresário afirmar que está "de bem" com o ex-presidente da Câmara:
"Agora eu tô de bem com o Eduardo".

Temer recomenda, em cima da bucha:
"Tem que manter isso, viu?".

Nesse momento não há referência a valores, apenas insinuações em outros pontos da conversa.
“Tamo junto”
Durante aquele encontro na noite de 7 de março no Palácio do Jaburu, Joesley Batista afirmou, dirigindo-se a Temer: "Tamo junto aí, o que o sr. precisar de mim, viu, me fala".
Eles conversavam sobre investigações da Lava Jato e sobre Cunha. A partir do minuto 9m33 do áudio, Joesley diz: "Queria te ouvir um pouco presidente, como é que o sr. tá nessa situação toda do Eduardo, não sei o quê."
Nesse trecho, Joesley começa a relatar o que chamou de 'liquidação' com Cunha, uma suposta referência a pagamentos ao ex-deputado preso.
"Dentro do que foi possível eu, e o máximo que deu ali, zerei tudo o que tinha de alguma pendência. Daqui pra ali zerou tal e tal, liquidou tudo, e ele foi firme em cima, ele já tava lá, veio cobrou, tal, tal, tal, pronto acelerei o passo e tirei da frente."

Joesley cita também o ex-ministro Geddel Vieira Lima:
"Geddel que andava sempre ali, mas perdemos o contato, ele virou investigado e também não posso encontrar ele."
Joesley é alvo da Polícia Federal e da Procuradoria da República. E diz que "está se defendendo".
"Negócio dos vazamentos, telefone lá, Geddel volta e meia citava alguma coisa tangenciando a nós, eu tô lá me defendendo."
Em seguida se dá o dialogo em que Temer recomenda “manter isso”, ao ouvir de Joesley que está “de bem” com Eduardo Cunha.
Esta noite, a Presidência da República divulgou nota informando que Temer não levou a sério as alegações de Joesley Batista sobre o pagamento de propina a um procurador e a um juiz, por considerar que o empresário apenas "contava vantagem".


Diário do Poder
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio