Promoção Magazine Luiza e Você

PREVINA-SE!

PREVINA-SE!
NOSSO BLOG APOIA ESSA CAUSA

ELEIÇÕES 2018 AO VIVO

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA

REDE FÁCIL CONSTRUÇÃO JATAÚBA
1° FEIRÃO DO ANO

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !

SEU FUTURO COMEÇA AQUI !
Aulas durante a semana e aos sábados!

APOIO: REDE SKY

APOIO: REDE SKY
PARCERIA NOS EVENTOS

TEMPO EM JATAÚBA - PE

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Mulher é morta a tiros durante culto em igreja evangélica de Vitória


Uma mulher foi assassinada a tiros dentro de uma igreja evangélica no bairro do Cajueiro, no município de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata de Pernambuco, na noite desse domingo (12). Maria das Dores dos Santos, 51 anos, participava de um culto quando recebeu oito tiros na região da cabeça, tórax e membros superiores. De acordo com testemunhas, um homem armado invadiu a igreja e efetuou todos os disparos na vítima. Maria das Dores ainda foi socorrida para o Hospital João Murilo, em Vitória de Santo Antão, mas deu entrada já sem vida.

Em março de 2016, a mulher teve o muro da casa alvejado com tiros e em outubro do mesmo ano atearam fogo no carro do marido dela, o repentista João Ferreira. Apesar da gravidade da situação, a família não prestou queixa das ocorrências.
O problema desta execução  teria sido motivado por denúncias feitas pela mulher assassinada contra envolvidos em crimes no bairro. “Ela reclamava muito e denunciava assaltos e tráfico de drogas na região onde morava”, comentou um policial que preferiu não ser identificado. (Aliás, os traficantes tem comercio de drogras na mesma rua da vítima, aliás, são vizinhos). 
Dificuldade
A Delegada Gleide Ângelo, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), iniciou as investigações da morte de Maria das Dores. De acordo com ela, há dificuldade em traçar uma linha de investigação devido as informações rasas e desencontradas.
“As pessoas não querem falar. Conversamos com o marido dela – eles tinham 29 anos de casados – que contou que ano passado atiraram na frente da casa e colocaram fogo no carro, mas nenhum B.O (Boletim de Ocorrência) foi registrado. Ele diz que não tem ideia do que pode ter acontecido”, contou Gleide Ângelo.
TV/Jornal
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio